EMPREENDEDORA QUE INSPIRA: do campo para cidade

Autora: Adriana Emiliano


No mês de março, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o Programa Conecta irá trazer histórias de empreendedoras e ex-alunas para inspirar você também a empreender



Conheça a história de Erika Alessandra de Angeli, 48 anos, de São José do Rio Preto. Ela participou da 6ª Turma de Qualificação Profissional em Empreendedorismo, é idealizadora do Empório De Angeli e uma das vencedoras da 1ª edição do Prêmio Conecta 2020.


Mesmo com origem familiar da região de Rio Preto, Erika passou a maior parte da vida em São Paulo. Cresceu, casou, virou mãe, profissional e empreendedora. Os desafios de viver em uma grande metrópole são muitos, cheio de obstáculos, como violência e impactos na qualidade de vida. Em um momento econômico difícil, a decisão em família por optar por uma migração reversa para o interior foi unânime. Neste momento, a escolha foi voltar às origens e resgatar um estilo de vida mais tranquilo, e em paz.


Há dois anos, iniciamos a nossa nova jornada de vida na cidade de São José do Rio Preto, onde passamos a resgatar hábitos alimentares mais saudáveis por meio do consumo de alimentos adquiridos diretamente de produtores rurais. Por questões de mercado, nossa empresa de obras e reformas continua sob a gestão de meu marido que trabalha na capital paulista, explica Erika.


Segundo dados levantados pelo SEBRAE, as mulheres continuam tendo participação minoritária dentro do segmento de produtores rurais. Entre as empregadoras, cerca de 85,1% possuem CNPJ. Já entre as que trabalham por conta própria, a porcentagem formalizada é de apenas 19,8%.


“Em busca de uma recolocação de trabalho, participei de alguns processos seletivos, mas sem sucesso. Foi então que em 2020, chegou a pandemia nos moldes que todos conhecemos bem de perto. O que parecia ser um novo impeditivo social e mercadológico, transformou-se numa oportunidade de trabalho. Os produtos do nosso consumo doméstico conquistaram o gosto também de nossos vizinhos que, ao longo do ano, tornaram-se nossos clientes. Desta forma, criamos uma rede colaborativa entre o campo e a cidade, via delivery. O sistema cresceu e nos manteve financeiramente ativos, num momento tão difícil da humanidade. Pudemos contribuir com a melhora, assim como, com a qualidade e cuidado preventivo de saúde de mais pessoas e famílias.”

A rede colaborativa é um sistema de produção de bens e serviços de origem local que cooperam entre si na inovação, produção, vendas e comunicação. Tem como objetivo viabilizar, melhorar os empreendimentos e gerar empregos. O que inspira o Empório De Angeli a empreender está diretamente relacionado com o propósito de despertar o consumo de produtos orgânicos, sustentáveis e valores afetivos.


“Quando percebemos que nosso propósito vai muito além de uma questão meramente comercial, passamos a exercer a real empatia em nossas casas, comunidades, cidade, estado, país... mundo. Nosso discurso de nada vale se não for igual a nossa prática diária. Trazendo isso para o Empório De Angeli, em tempos de pandemia, não é apenas a entrega de um café, mas da conversa, da atenção em cada entrega. Quantas histórias não foram contadas, quantos choros e saudades foram desabafados e, em muitas situações, aquela sensação de solidão foi também amenizada em cada entrega. E, muitos(as) clientes não necessariamente compram do Empório, mas sempre nos mandam mensagens de agradecimento pelo nosso tempo e escuta”, conta Erika.


O Conecta surgiu num momento que, apesar da ideia do Empório ter tomado força e termos sido pauta de matérias televisivas aqui em São José do Rio Preto, particularmente, eu precisava ressignificar a minha trajetória pessoal e profissional. Afinal, tudo aconteceu durante a pandemia de forma muito espontânea e sem planejamento prévio de um modelo de negócio formal. Tive que reescrever a minha história e, para tanto, precisei rever minha jornada empreendedora e o Conecta foi a minha ponte e o meu escudo para que eu pudesse cruzar e enfrentar, naquele importante momento, os meus próprios medos e fracassos, que por muito tempo me assombraram!


Enquanto muitas pessoas tiveram inúmeras dificuldades para se reinventarem durante a pandemia, nós alunos(as) do Conecta, tivemos o acolhimento técnico e emocional para segurar os lemes de nossas embarcações durante a tempestade. Em toda crise há uma ou mais oportunidades. No caso do Empório, o fato de entregarmos alimentos saudáveis, naturais, artesanais e orgânicos em sistema delivery conquistou o público, formado principalmente por mulheres, donas de casa ou em trabalho home office, preocupadas com a melhora na qualidade das refeições de suas famílias. Portanto, o foco em produtos de sítio trouxeram não somente a possibilidade de uma saúde preventiva, mas o resgate de memórias afetivas tão importantes neste momento atual, destaca Erika.


Os desafios de ser mulher empreendedora já iniciam na jornada diária dentro das suas casas. Considerando a média nacional, 79% das empregadoras brasileiras e 92,2% das mulheres que trabalham por conta própria realizam também afazeres domésticos (DataSebrae). Na verdade, o modelo de "super mulher" não é a forma mais desejável na vida real. O acúmulo de tarefas e responsabilidades adoece mulheres de diferentes idades. Se você não conseguir apoio em casa, nenhuma mulher terá sucesso. Educação, delegação e compartilhamento são os maiores desafios em nossa jornada empreendedora. Educar, capacitar e compartilhar com nossa família: tarefas domésticas para companheiros e filhos, responsabilidades financeiras, respeito pela vida dos outros dentro e fora da família. Entenda que seja na empresa ou no estabelecimento de uma empresa sólida, tanto homens quanto mulheres precisam de estratégia e atuação para beneficiar a todos.


Ao longo da história, muitas mulheres foram empreendedoras na família para que seus maridos alcançassem o sucesso profissional. Hoje, a situação é bem oposta. Obviamente, pode-se dizer que nem todas as mulheres são casadas e têm parceiros. Na vida pessoal, e profissional, seja desde o estabelecimento de creches de alta qualidade na primeira infância até escolas que se preparam para o novo mundo em que vivemos, ou incentivando e promovendo por meio do empoderamento, o poder público se tornou um parceiro importante para o sucesso dos empresários. Mais mulheres estão engajadas em seus próprios negócios e, portanto, engajadas em atividades econômicas.“Quanto mais mulheres qualificadas deixarem de empreender por necessidade para atuarem por oportunidade, mais a família ganha, e o país ganha em inovação, tecnologia, empregos e renda para mais mulheres”, afirma Erika.




CONSELHOS DE UMA EMPREENDEDORA


Todos nós nascemos empreendedores, mas nem sempre sabemos. A necessidade ou a oportunidade faz com que nos reinventemos todos os dias, e com o conhecimento adequado, percebemos que temos todas as nossas próprias jornadas do herói. No caso de nós mulheres, de HEROÍNAS!



Venha empreender com a gente. Inscreva- se.

O principal objetivo do Programa Conecta é promover o empreendedorismo por meio da formação cognitiva, comportamental e ferramental, para que os participantes criem e implementem um Plano de Negócios. Assim, busca-se preparar os jovens para enfrentar um mercado que está cada vez mais dinâmico e competitivo, exigindo profissionais preparados para enfrentar seus desafios.


Participe do Prêmio Conecta de Empreendedorismo:

Incentivaremos dois alunos de cada cidade com R$1.500,00 para impulsionar o seu negócio. Essa premiação é baseada no regulamento, na avaliação da banca técnica de mentoria e na participação e engajamento dos alunos.






0 comentário

Posts recentes

Ver tudo